top of page

Caçapava do Sul espera 20 mil pessoas para a II Festa do Azeite de Oliva

Esse é o primeiro evento de grande porte desde que Caçapava do Sul se tornou Geoparque Mundial


O berço da olivicultura comercial no Brasil se prepara para a segunda edição da Festa do Azeite de Oliva. Entre os dias 6 e 8 de outubro, Caçapava do Sul promoverá um grande evento para que o público conheça alguns dos azeites mais premiados do mundo: os azeites extravirgens produzidos localmente.



A expectativa da comissão organizadora é que cerca de 20 mil pessoas circulem pelo evento nos três dias. Além da possibilidade de degustar os diferentes rótulos, os visitantes irão encontrar gastronomia harmonizada com o azeite de oliva, artesanato, produtos coloniais, passeios turísticos e, claro, uma agenda cultural com teatro, contação de histórias e shows musicais.


A segunda Festa do Azeite de Oliva ocorre em um momento muito especial para o município. O território, que trabalha desde 2011 pelo desenvolvimento turístico a partir da valorização das paisagens, recebeu em maio a chancela da Unesco. Agora, Caçapava do Sul é Geoparque Mundial.


“Esta é a primeira grande festa na cidade desde o recebimento do título de Geoparque. Portanto, será um evento de muita celebração”, avalia um dos coordenadores da Festa do Azeite de Oliva, Giordano Borba. Além do título de Geoparque, o município comemora o ganho de produtividade e qualidade alcançado pelos olivais em 2023.


Corte da Festa do Azeite de Oliva


Quem explica este ponto é o presidente do Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva), Renato Fernandes – quem também é produtor em Caçapava do Sul: “Estamos aprendendo sobre azeites no Brasil. Nas últimas três safras foram registradas secas horrorosas e aumento de produção. A olivicultura foi a única cultura que mostrou recorde de produção. Isso acontece porque a estiagem provoca stress na planta e coloca mais sabor nos frutos. O resultado é um azeite picante, como deve ser”.


Para que o público possa perceber estes aspectos e sentir como a olivicultura e o turismo estão relacionados, estão previstos dois roteiros especiais. Em um, os grupos saem da festa para visitar o geossítio Pedra do Segredo e, depois, serão recepcionados no olival Vila do Segredo. No outro, a parada é no geossítio Toca das Carretas e a recepção, no olival Dom José.


Olival Alma do Segredo e ao fundo a Pedra do Segredo


“Queremos, com isso, que as pessoas consigam vivenciar a experiência turística no geoparque e conhecer a produção dos azeites. Nos olivais elas vão conhecer as árvores, entender o processo de extração do azeite, degustar e provar receitas diferentes, pois azeite não é só para a salada”, explica Rosane Abdalla, presidente da Associação de Olivicultores do Sul do Brasil (Olisul). Os passeios serão oferecidos pela manhã e pela tarde, na sexta-feira e no sábado, e pela manhã, no domingo.



Informações para a imprensa:

Clarisse de Freitas

Assessoria de imprensa

MTB 11.872

Fone: 51 98101 8418

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page